voltar

TELEM e o futuro dos Estúdios Vera Cruz

No dia 5 de agosto, os estúdios da antiga Companhia Cinematográfica Vera Cruz, em São Bernardo do Campo, passaram por um momento especial nos seus quase 70 anos de existência: a TELEM, principal empresa da Estúdios São Bernardo do Campo, grupo que terá a concessão do espaço por 30 anos, apresentou ao mercado do audiovisual, a entidades do setor e à classe política os planos para o local, que é parte da história do cinema brasileiro.

 

 

 

O evento contou com manifestações do ministro da Cultura, Juca Ferreira; do prefeito de São Bernardo do Campo, Luiz Marinho; do secretário da Cultura do município, Osvaldo de Oliveira Neto; do cineasta Newton Cannito; do presidente da ANCINE, Manoel Rangel, e do secretário da Cultura da cidade de São Paulo, Nabil Bonduki, representando a SPCine.

 

O diretor comercial da TELEM, Fernando Fontes, também subiu ao palco, onde fez uma homenagem aos profissionais que trabalharam lá no passado e falou sobre o projeto: “Nós acreditamos que estes Estúdios têm potencial para voltar a ocupar a posição de destaque que já tiveram um dia. Estamos falando de um mercado que, apesar de condições difíceis no geral, tem uma demanda cada vez maior. A produção audiovisual precisa de espaço para se expandir e que local melhor que o Vera Cruz?”.

 

“Há muitos anos não se grava mais filmes aqui, mas é significativo que esta estrutura tenha sobrevivido para que possamos retornar neste momento e dar a ela sua destinação original, porém, dentro de outra realidade, em um universo mais amplo, tanto para os estúdios, quanto para a cidade de São Bernardo e para o mercado do audiovisual”, completou Fontes.

 

O projeto

 

Serão 30 anos de concessão, sendo cinco para as obras. Os dois grandes galpões de hoje serão transformados em sete estúdios, com tecnologias que os colocarão entre os mais avançados do país. Haverá alternativas para todos os tipos e tamanhos de produções, com estúdios de 2.728m2, 803m2, 311m2 e 285m2.

 

O prédio dos estúdios, que vai manter a tradicional forma por fora, também ganhará anéis laterais, nos quais haverá escritórios para produtoras independentes formarem suas bases de produção; uma incubadora de empresas do audiovisual; serviços de pós-produção, locação de equipamentos e cinema digital e a nova sede do Centro de Audiovisual de São Bernardo do Campo (CAV).

 

O complexo também terá uma importante novidade, voltada para a difusão da cultura: o Centro Cultural. Lá, haverá um teatro para 850 pessoas – e que proporcionará uma série de possibilidades, como apresentações artísticas, palestras, workshops e premiações. Poderá até ser usado como estúdio, para transmissões ao vivo. Também haverá uma sala de cinema digital e 3D; um memorial que irá resgatar a rica história do Vera Cruz e restaurantes, proporcionando uma experiência completa para os visitantes.

 

Os primeiros espaços serão entregues em 2016: o teatro e a nova sede do CAV.




busca