Busca

Mecanismo Cênico

 
O mecanismo cênico é um sistema de varas cênicas. As varas são tubos longitudinais redondos de aço, presos no urdimento, onde são fixados elementos cenográficos, equipamentos de luz e vestimentas cênicas. Sua movimentação pode ser manual, contrapesada ou motorizada.
 
Varas Manuais
 
O sistema de varas manuais é leve, acionado através de cordas e presas em malaguetas fixadas nas laterais do palco. Podem ser utilizados guinchos manuais constituídos por um ou mais tambores presos a um eixo horizontal e alavanca de acionamento.
 
Varas Contrapesadas
 
Sistemas de varas contrapesadas são utilizados em teatro para aliviar o peso das varas cenográficas ou de iluminação durante seu manuseio. São sistemas mecânicos, mais utilizados para iluminação.
 
Varas Motorizadas
 
São varas içadas por um sistema de suspensão formado por cabos de aço, moto-redutores e polias, que permitem a movimentação das varas.



Pisos de Palco

Nos teatros, o palco é o espaço destinado às representações. Em geral, seus pisos são tablados ou estrados de madeira. Podem ser fixos, quarteladas, giratórios ou transportáveis. Os palcos assumem formas e localizações variadas em função da platéia, que pode situar-se à frente dele ou circundá-lo por dois ou mais lados.
 
Piso Fixo
 
O piso fixo do palco para teatro, normalmente confeccionado em madeira freijó, é de fácil implantação e altamente seguro. O freijó é resistente e não solta farpas. Suas características físicas conferem dureza e absorção de impactos.
 
Quarteladas
 
Divisão do piso do palco em pranchas que podem ser removidas manual ou mecanicamente. Nos padrões internacionais de medida são modulados em 2m x 1m.
 
Pisos Móveis
 
São pisos confeccionados com a superfície em madeira, munidos de sistemas de elevadores reguláveis. Podem ser apresentados em diferentes sistemas de elevação, todos motorizados para facilitar sua movimentação.



Sistemas de Segurança

Cortina Corta-Fogo

 

A cortina corta-fogo é um sistema de segurança que forma uma barreira entre palco e o auditório em caso de incêndio. Esta barreira impede que o calor, a fumaça e as chamas alastrem-se em direção ao auditório. A cortina é confeccionada em tecido Zetex 1210 Plus, formado por fios trançados a base de sílica, com tratamento apropriado que o torna resistente e durável às altas temperaturas.



Mecanismo de Palco

Elevador de Orquestra
 
Os elevadores são divisões do piso do palco com movimentação para vertical. Podem alcançar toda a largura ou comprimento do palco ou apenas parte dele. Podem ser movimentadas juntas ou separadamente, formando degraus acima ou abaixo do nível do palco. O controle pode ser manual, elétrico ou hidráulico. Há elevadores que também possibilitam inclinação e montagem de rampas. 
 
Monta-Carga
 
Elevador de grande porte, usado em grandes teatros para transporte de cenários, geralmente do subsolo/fosso até o palco. Também pode ser usado na construção civil.
 



Estruturas de Palco

Urdimento
 
O urdimento é uma armação de madeira ou ferro, construída ao longo do teto do palco, para permitir o funcionamento de maquinas e dispositivos cênicos.
 
Varandas
 
Podem ser de carga ou de manobra e são geralmente construídas em estrutura metálica e posicionadas nas laterais e fundo do palco.
 
Passarelas
 
São estruturas construídas para facilitar o acesso a equipamentos e varas de iluminação, muito utilizada para manutenção e afinação dos refletores. Geralmente, são construídas em estrutura metálica e posicionadas próximas ao forro da platéia.
 
Box Truss
 
São estruturas treliçadas modulares construídas em alumínio estrutural utilizada para sustentar refletores, peças cenográficas, entre outros. Podem ser usadas tanto em ambientes internos como em externos, e são de fácil montagem.



Vestimenta

É o conjunto de sistemas formado por elementos de cenografia e da cenotecnia. É composto geralmente por cortina nobre, lambrequim, regulador vertical, regulador horizontal, pernas, bambolinas, rotunda e ciclorama.
 
Cortina Nobre
 
Peça geralmente em veludo plissado, que resguarda o palco. Abre e fecha lateralmente, ou sobe e desce por mecanismo apropriado. Também chamada em teatro de “pano de boca".
 
Lambrequim
 
Uma espécie de bandô, que dá acabamento na cortina de boca de cena. Geralmente franzida e colocada na parte superior, à frente do pano de boca. Pode ser trabalhada ou lisa.
 
Bambolina
 
É uma faixa de pano, normalmente preta, que, seguida de uma serie de outras situadas no interior da caixa cênica de um palco italiano, se une aos bastidores ou pernas, para completar o contorno do espaço cênico (mascaramento da cena). São as bambolinas que fazem o acabamento na parte superior do palco, não permitindo que sejam visíveis para a platéia as varas de luz e demais equipamentos.
 
Reguladores Verticais
 
Reguladores verticais são dois bastidores móveis, revestidos com o mesmo tecido da cortina nobre geralmente correndo em trilhos, logo atrás da boca de cena. A movimentação lateral dos bastidores define a largura da boca de cena.
 
Reguladores Horizontais
 
Uma espécie de bambolina rígida que regula a boca de cena no sentido da altura. Localizada junto a boca de cena, geralmente suspensa por cabos de aço. O movimento de subir e descer define altura da boca de cena.
 
Pernas
 
Trata se de um pano solto, desde a boca de cena até o chão, com a finalidade de demarcar lateralmente o espaço cênico. Evita que os objetos de coxia apareçam. Serve também para regular a abertura de boca do palco.
 
Rotunda
 
Pano de fundo, normalmente feito em flanela, feltro ou veludo. Localizado no fundo do palco, delimita o espaço cênico em sua profundidade.
 
Ciclorama
 
Grande tela semicircular ou reta, geralmente em cor clara, situada no fundo da cena e sobre a qual incidem as luzes das varas. Nele também pode ser projetados dispositivos ou filmes. Também é chamado de infinito, fundo infinito, e cúpula de horizonte.



Instalações Elétricas

Instalações Elétricas

 

Iluminação

 

O sistema de iluminação consiste na infra-estrutura elétrica, desde a alimentação dos quadros de força oriunda da cabine primária até as tomadas das varas de iluminação ou os pontos de som. O cabeamento poderá ser executado em cabo PP ou PB 2x2,5mm2 ou ainda através de multicabos com plugs multipolares nas varas de iluminação, acomodados em eletrocalhas e dutos dimensionados conforme projeto.



Acústica

Isolamento Acústico
 
O isolamento acústico tem a função de condicionar a energia sônica no interior do recinto, impedindo também que ruídos externos atrapalhem eventos em andamento, como gravações. Baseia-se na utilização de estruturas com elevada capacidade de isolar energia sônica, além do emprego de estruturas mecanicamente desacopladas.
  
Condicionamento interno
 
Controle da reverberação e dos padrões de reflexões com objetivo de propiciar conforto acústico e condições adequadas de elevada inteligibilidade de voz humana e de reprodução de música.
 
Controle de ruído
 
Medidas que complementam as anteriores e objetivam manter reduzido o nível de ruído ambiente, por meio do controle dos ruídos produzidos por sistemas de condicionamento de ar, de máquinas e motores, além da atenuação de ruídos e vibrações transmitidos por vias aéreas e estruturas sólidas.

 



Áudio e Vídeo

Áudio

 

Sistemas profissionais de reforço de som, de ajuda ao deficiente auditivo, de avisos e chamadas, de captação de áudio e de gravação, todos dimensionados em função das características acústicas próprias de cada ambiente, visando obter elevada inteligibilidade da palavra e níveis de pressão sonora adequados.

 

Sistemas de vídeo

 

Sistemas profissionais de projeção de vídeo utilizando projetores e telas ou displays, com resoluções, tamanhos e formatos otimizados para maximizar a visibilidade de toda a platéia, com oossibilidade virtual de uso de quaisquer fontes de imagens. Sistemas de captação de imagens e de sua gravação. Sistemas de distribuição de vídeo e áudio por grandes prédios e instalações. Sistemas de digital signage.   
A Telem dispõe das mais avançadas tecnologias em sistemas de projeção, inclusive em projeções para efeito 3D.